PARTICIPANTES

1- Maria do Carmo Costa
2- Humberto-Poeta
3- Alfredo Mendes
4- Clara da Costa
5- Eugénio de Sá
6- João Coelho dos Santos
7- Sonia Nogueira
8- There Válio
9- Humberto-Poeta
10- Edilson Xavier de Menezes/ Edmen
11- Nelson Carvalho

12- José Hilton Rosa
13- Isabel C S Vargas
14- Gina Maia
15- Maria de Fátima Delfina de Moraes
16- Vitória Lynn
17- Mifori
18- Marinez Stringhetta/Mara Poeta
19- Maria Olga de Oliveira Lima
20- Cássia Vicente
21- Yna Beta
22- José Ernesto Ferraresso

 

 

 

Minha irrequieta alma!

Maria do Carmo Costa

Com alegria, entusiasmo e inspiração
para brincar com as palavras,
minha irrequieta alma
depois de passar
por um período
de renovação,
despertou e renasceu
como a Fênix!

Dotada de novas asas,
agora mais leves e possantes
e sem as cicatrizes
ela está agitada e ansiosa para poetar
todo o seu sentir!

O seu sentir
que não é nada mais
e nada menos
que o amor!

Aquele doce sentimento
com o incrível poder de suavizar
o mais insensível e embrutecido
dos corações
transformando um simples dia comum
no mais belo e eloquente
de toda uma vida!

 

 


ALMAS

Humberto Rodrigues Neto

Ah, quão estranha faz-se a alma humana
nos multifários prismas que apresenta:
se em fúria muitas vezes se apoquenta,
em outras, quanto bem de si promana!

Por mais que se a interrogue e mais se a estude,
traz de ancestres passados cada indício:
no mesmo afã com que disfarça um vício,
realçar procura, sempre, uma virtude.

Quantas delas no amor andam imersas!
Quantas outras ruminam maus instintos!
Provêm do mesmo Deus, mas quão distintos
são os fluidos que as concebem tão diversas!

Pois foi assim que o mesmo eflúvio prisco
– no ver do autor destas modestas odes –
plasmou de ira o coração de Herodes,
e o plasmou de bondade em São Francisco!

 

 

A ALMA

Alfredo Mendes

Quando leio um poema sobre a alma.
Que um dia dia deixará de me amparar...
Eu sinto enorme gana de gritar:
O que vai ser de mim contigo em falta?

 

 

A Alma Adormece
Clara da Costa

O tempo passa,
derrete-se em sonhos,
separa corações,
abafa o grito.

Sentimentos perdidos,
viraram pó desfeitos no vento,
sem rumo,
feito barco à deriva.

A alma adormece...não se sente mais nada,
resta a solidão,
a saudade de quando tudo era
amor,
suavidade,
ternura...

 

 

Alma minha, irrequieta

Eugénio de Sá

Que subtis refúgios a alma esconde
Quando promíscuo o senso a perscruta
Sem saber nela como e nem aonde
Procurar causas em que o ser matuta?

Que ténues mecanismos serão esses
Que engenhosos, hábeis, perspicazes
Produzem na consciência tais reveses
Que calam os mais sábios e loquazes?

- É que, tendo a alma a tal prerrogativa
De se encontrar c’o pélago da mente,
Mesmo sem do absoluto ser cativa,

Temos de considerar ser procedente
D’Espinosa a norma subjuntiva;
Que a alma é do divino consequente.

 

 

Minha Irrequieta Alma

João Coelho dos Santos

Rápido como o relâmpago
Mergulhei destemido no passado…
Minha irrequieta alma chorou lágrimas de sal
E reaprendeu a saudar as madrugadas.

 

 

Minha Alma Inquieta
Sonia Nogueira

inda que a face no olhar revele
Da calma que a transparência oculta
Nada revela, nem o tempo impele
De exportar disfarce, curar disputa

Na inquietude da alma, que se nega
Em partilhar e simular anseios
Que a vida é turbilhão firme, navega
Entre ondas e com ela eu me alio.

Nas horas onde o tempo é único e só
Janelas, templo aberto no silêncio
Minha alma voa encontra a nota dó

Mas não desata o grito, nem o laço
Desbrava estradas e mesmo cônscio
Inquieta abraça o óbvio, o mesmo espaço

 

 

Minha Irrequieta Alma!
There Válio

Numa demonstração de alegria,
Minha irrequieta alma
Canta em êxtase!
Com o coração transbordante
De emoção e fantasia...
O poeta num delírio apaixonado
Dando ímpeto à inspiração...
Unindo alma e coração
Cria versos amorosos
Declarando sua paixão,
Mesmo sabendo que esse amor
É o seu sonho idealizado...
Ou a quimera de su’alma!

 

 

ALMA INQUIETA

Humberto-Poeta

Depois da noite amarga em que partiste
meu ser tornou-se solitário e triste,
carpindo a dor de uma mudez completa...
Mas como sei que estás de novo só,
espana da tua vida o antigo pó
e faz brilhar de novo esta alma inquieta!

 

 

MINHA ALMA
Edilson Xavier de Menezes/Edmen

Ah minha alma, por que tanta saudade,
se o que te acolhe em mim é a bondade
de seres o que és.
A felicidade é acolhida com alegria,
então sorria e veja os campos floridos,
eles são tão queridos, assim como é
você em mim.

 

 

Minha Irrequieta Alma

Nelson Carvalho

não sossega um segundo,
deseja levar-te a palma,
do amor maior do mundo!

 

 

Minha Irrequieta Alma
José Hilton Rosa

Lágrimas que caem em silêncio
lágrimas que curam feridas da maldade
lar dividido com o medo
liberdade extirpada pelo companheiro
livre para pensar, gritar e rebelar
infinita mulher
irrequieta alma

 

 

Minha Irrequieta Alma

Isabel C S Vargas

Sobrevoa céus de infinita luz.
Estende-se por campos verdejantes.
Afoga -se em mares revoltos.
Emerge de sonhos intensos.

Minha irrequieta alma vive de esperança,
Não sucumbe a dor que rasga corações.
Alça voos nas asas de minha fé em Deus.
Busca viver intensamente cada momento.

Minha irrequieta alma vive do amor
Que recebi das pessoas que me cercam
E daquele que observo na gratuidade da natureza,
Personificando o amor do Criador a todos os filhos.

 

 

Minha Irrequieta Alma

Gina Maia

Com a minha irrequieta alma
fui vencendo vicissitudes.
Matando as securas nas fontes ;
- Os livros, o trabalho,
a família, as vivências,
os rasgões...; orando nas doenças!
Os amigos e o medo dos papões.
Aprender na escola de virtudes.
Depois das lutas,
provava os néctares das colheitas.
A cada rasgão ficava sempre um vazio,
como trigal depois das ceifas.
Soube viver um interlúdio
que comtemplava o lúdico.
Das minhas mãos, agora nuas
já brotaram flores acetinadas,
cujas pétalas ainda brilham
ao sol da minha rua.
No silêncio da noite e sua magia,
saboreio a escrita e a Poesia,
onde minh’alma se acalma,
ou se extasia!

 

 

MINHA IRREQUIETA ALMA
Maria de Fatima Delfina de Moraes

Minha irrequieta alma
não me deixa desistir
seja qual for o percalço,
me incentiva a prosseguir.

Não se cansa da labuta,
de tristezas ou desenganos,
intui-me de alguma forma
a recriar novos planos.

Minha irrequieta alma
sabe que há uma missão
e nesta estrada da vida,
dádiva que Deus me deu
que Ele é quem conforta
e reanima as forças dos filhos seus.

 

 

 Irrequieta Alma
Vitória Lynn

Esta é uma alma inquieta que
Precisa de tranqüilidade e segurança para descansar;
De uma paz que habite nela,
Fazendo com que os bons resultados que ela obterá se estabilizem
E que assim, ela sempre seja
Repleta de características de uma alma purificada.
A partir disso, as características anteriormente descritas
Aqui de uma irrequieta alma, se
Tornarão realidade de um triste passado.

 

 

Minha Alma Irrequieta
Mifori

Vai em busca do melhor,
mas respeitando a harmonia,
sempre alerta não se esquece
de espalhar muita alegria
e também não adormece,
estando sempre festiva,
meu coração ela aquece.

 

 

Minha Irrequieta Alma
Marinez Stringheta/Mara Poeta

Em meio à calmaria
Da madrugada
A Alma desperta
De seu torpor
Viaja pelos labirintos
Da ilusão
Não se aquieta
O burburinho lhe apetece
A música do vento
Tenta colocar ordem
Ela desobedece
Está aqui
Almejando acolá
Não lhe satisfaz ser maioria
Necessita do poder de escolha
O “quebrar a cara”
Processo à parte.

 

 

Alma Bendita
Maria Olga de Oliveira Lima

Oh Alma! Irrequieta Alma!
Bendita sejas tu,
Que me sustentas, me acompanhas
E me fazes sentir as mais belas emoções.
Oh Alma, que suporta os meus ais,
Me apontas novos caminhos,
Pões-me em pé
E me permites realizar tantas coisas...
Tantas obras...
Oh Alma, que me dás a vida,
Deixas-me ir... voltar... retroceder...
Decidir, escolher,
Rir, cantar, viver...
O bem fazer.

Quando tu me deixares, Alma Bendita,
Que será do meu corpo, inerte, frio,
Deixado de lado...
Exposto ao sol, chuva, vento, tempestades?
Reinará, em algum coração,
A saudade???

 

 

MINH´ALMA
Cássia Vicente

Acontece que se recorda
tão vivamente de ti que,
sem perder uma vírgula,
estabelece contato
sem ponto final...

Minh´alma se esquece
de onde deveria estar e,
num voo rasante
se encosta em ti
sem que você perceba...

Sou agora tua sombra que,
busca sover de ti
o mais puro amor...
sem ponto final,
você, percebe e aceita...

 

 

Irrequieta Alma

Yna Beta

As luzes da alvorada se acende
Acende também, minha saudade,
Saudade do amor que transcende.

Transcende com loucura de verdade.
Verdade... são lembranças do passado,
Passado bem recente, apaixonante...

Apaixonante como corpos entrelaçados
Entrelaçados em pleno gozo, doce amantes.
Amantes de irrequietas almas.

Almas que se elevam em forte chama!

 

 

APLAUSOS PARA UMA ALMA

José Ernesto Ferraresso

Aplaudiam uma viagem,
que faremos a qualquer momento,
procuramos esquecer
sempre desse pensamento.

Tempo que passa é distante,
recordação não evitada.
Momentos e instantes,
lembrança sempre marcada.

Conclusão de um episódio,
missão árdua, com conquistas e emoções
acompanhada de uma triste marca
que deixou em nossos corações.

Serra Negra
SP

 

 

Edição Mara Pontes

 

:::VOLTAR:::